DEBATE CBN: “NÃO É RECUO, É ESTRATÉGIA”, ADVERTE CARLOS CAMPOS SOBRE MEDIDA QUE EXCLUI SERVIDORES ESTADUAIS DA REFORMA PREVIDENCIÁRIA

28/03/2017 07/12/2020 16:55 754 visualizações

“Não representamos apenas entidades classistas. Nós temos um dever com a sociedade brasileira. Não é porque o governo diz que retirou servidores estaduais e municipais da Reforma que nós vamos deixar os demais trabalhadores serem massacrados”, assim o presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins, Sindifiscal, Carlos Campos, defendeu a continuação de um trabalho intenso de oposição a Reforma da Previdência, durante o programa CBN Debate, transmitido no último sábado,25.

A fala de Campos faz alusão ao pronunciamento do presidente Michel Temer, que no último dia 22, anunciou a retirada dos servidores dos entes federados da redação da PEC 287. “Nós sindicalistas não nos iludimos em achar que isso é recuo do Governo Federal com relação a PEC 287, é estratégia para diminuir a pressão sobre a Câmara dos Deputados”, completou Campos durante participação.

Quem acompanhou o CBN Tocantins Debate, conferiu ainda o líder sindical refutando os argumentos que tentam justificar reforma. “O dados mostram que não há déficit, há superávit. A Seguridade Social arrecada mais do que investe em sua estrutura”, ponderou.

Questionado pelo jornalista Wagner Quintanilha sobre as motivações do Executivo, Campos denunciou a tendência governista de ceder aos interesses do sistema financeiro. “Os grandes investidores pretendem vender previdência privada para os trabalhadores brasileiros e para isso têm apoio do governo federal. A intenção é sufocar o trabalhador para que este recorra a estas instituições e levem a elas rios de dinheiro”.

A participação completa de Carlos Campos você confere no site da CBN Tocantins