Sindicatos do Fisco são recebidos pelo Governador Mauro Carlesse e tratam de assuntos de interesse da categoria

10/06/2021 11/06/2021 09:27 192 visualizações

Somando forças em prol de garantir melhorias aos Auditores Fiscais, o presidente do Sindifiscal, Santiago Almeida, acompanhado do Secretário da Fazenda, Sandro Henrique Armando, do Secretário Executivo, Marcos Menezes, da equipe técnica da Sefaz e do presidente do Sindare, Jorge Couto, estiveram reunidos com o Governador do Estado na manhã desta quinta-feira, 10, no Palácio Araguaia, cobrando o pagamento do retroativo  do Ressarcimento de Despesas Fiscais (Redaf), a inclusão da categoria no Plano de Nacional de Imunização (PNI), concessão das progressões, implementação da data-base e teto remuneratório dos servidores públicos.

Na oportunidade, o Governador recebeu as autoridades de forma muito gentil e se atentou prontamente às reivindicações, garantindo que irá solicitar imediatamente a inclusão dos Auditores Fiscais no PNI juntamente com outros servidores públicos, inclusive os da Adapec, e acrescentou entender que as progressões e data-base são direitos dos servidores públicos, sendo favorável ao pleito e pretende permitir que o pagamento seja implementado o mais breve possível, ainda dentro de sua gestão. Sobre os retroativos do Redaf, o Governador demonstrou interesse e vontade para atender rapidamente o pedido, inclusive solicitou ao Secretário da Sefaz para se reunir com os líderes classistas e resolver a situação o mais rápido possível. Foi tratada também a correção do teto remuneratório, a cobrança foi no sentido de passar o subsídio dos servidores públicos para o subsídio do desembargador do Estado. Os Sindicatos terão que fazer um estudo e apresentar a viabilidade ao Governador.

Em sua fala, o Sindifiscal iniciou saindo em defesa da categoria, dando destaque ao pagamento dos retroativos do Redaf, tendo em vista o recorde que os Auditores Fiscais, sob o comando dos atuais gestores da Sefaz, seguem batendo desde 2020 nas arrecadações, contribuindo assim para que o Estado enfrente a pandemia e consiga implementar as políticas públicas para a população. 

Sobre as progressões e a inclusão do fisco tocantinense no PNI, o presidente Santiago argumentou que “a conversa com o Governador serviu também para solicitarmos a concessão das progressões, uma vez que elas não surtem um impacto financeiro, pois os Auditores Fiscais já se encontram com limite do teto do Governador, então elas só buscam atender um direito, mas na prática não apresenta ônus ao Estado. Com relação à inclusão dos Auditores no PNI, em virtude do grande número de mortes tanto dos profissionais, quanto dos seus familiares, sendo o fisco tocantinense linha de frente pedimos a contemplação com a imunização, muitas vidas já foram ceifadas não podemos perder mais”, destacou Santiago.

Texto: ASCOM SINDIFISCAL

Fotos: Ascom Governo do Estado